terça-feira, 6 de março de 2007

Concursados

Notas, impressões, versões e alguma verdade
O promotor Fernando Krebs disse hoje, após reunião com representantes dos aprovados no concurso realizado pela Câmara Municipal de Goiânia, que vai exigir do presidente da Casa, Deivison Costa (sem partido), um cronograma de convocação dos concursados. Caso o cronograma não seja apresentado, o vereador será processado por improbridade administrativa.
Quando o concurso foi realizado Deivison não era o presidente da Câmara, mas não me recordo de qualquer oposição sua. Portanto, não haveria agora motivo para a não convocação dos aprovados.
O governo do estado e a Assembléia Legislativa também resistem a chamar todos os aprovados em seus respectivos concursos. No estado a situação é menos grave, já que a maioria foi convocada, restando dúvidas apenas sobre o chamamento da reserva técnica. Já na Assembléia, o novo presidente, Jardel Sebba (PSDB), declarou publicamente que é contrário à convocação porque "os deputados têm compromissos a cumprir com quem os ajudou a ser eleitos", ou seja, Jardel defende espaço para a nomeação de cabos eleitorais como comissionados. Depois de reunião no Ministério Público, semana passada, o deputado parece ter mudado de idéia. Agora já fala em convocar todos os aprovados até o fim de seu mandato, em 2008.
Essa situação nos três níveis de governo, uma verdadeira palhaçada, revela bem o perfil do político brasileiro e, por extensão, de parte de seus eleitores. De um lado políticos que querem agradar seus cabos eleitorais. De outro, pessoas que preferem ser penduricalhos em gabinetes a conseguir um emprego por esforço próprio. Os concursados que se esforçaram para a aprovação? Ora, quem se preocupa com eles?
Postar um comentário