sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Imagens

Catálogo de Erros

Acordar e ter um dia azul. Ouvir sinfonias naturais, apesar do avião ao longe. Seguir o curso das águas riacho abaixo. Aquele barulhinho...

Acordar e ver um dia alaranjado. Raios de sol pelas frestas da madeira velha disfarçada de nova. Um latido rouco. O azul mais azul do inverno. Aquele agradável amarelo do sol, sem suor.

Um pouco de rock and roll. Um quase nada de embriaguez. Latência. Uma tarde de viagens imagináveis. Um sonho bom lembrado assim, de repente. Um sorrir sozinho, nem por nada.

A neblina da madrugada e aquele frio de nunca antes. Uma luz acesa na rua desfocada - um ar de lugar antigo e longe daqui. Pra estar lá um dia.

Cheiro de livro velho e espirros de alergia. Uma dedicatória na página amarelada. Sem destinatário. Mas uma pessoa se liga a outra e a outra e a outra.

Uma jaqueta de couro surrada. Uma boina e, talvez, um cavanhaque grisalho. Um olhar distante, sem tristeza. Sem saudade.

2 comentários:

Cássia disse...

Lindo, meu amigo sempre a tornar-se mais poeta. Posso pegar essa prosa poética e convertê-la em poema, e publicá-la onde eu quiser? Com foto sua e tudo? Ah, vai, deixa. :)

Marley disse...

Menino, que surpresa!!! eSSE SEU TEXTO ESTÁ MARAVILHOSO... É O AR DO SUL??