terça-feira, 13 de outubro de 2015

Delegado federal do caso do bombom agora vai ser investigado pela própria PF

O delegado Agostinho Cascardo, que provocou revolta nacional por mandar interrogar e deter uma faxineira que comeu um chocolate que estava sobre sua mesa de trabalho, conseguiu também desagradar a própria Polícia Federal. Além de ser acusado de improbidade administrativa pela OAB de Roraima, por usar a estrutura da PF para tratar de um caso legalmente vinculado à esfera da Polícia Civil - por se tratar de um "patrimônio" pessoal e não público, o bombom furtado -, a própria Federação Nacional de Policiais Federais decidiu fazer uma representação à Corregedoria-Geral da PF e ao Ministério da Justiça alegando que a atitude de Cascardo comprometeu a imagem do órgão e causou escândalo, já que a estrutura da instituição foi usada para atender um interesse pessoal do delegado. Segundo a Federação, há indícios de assédio moral e improbidade administrativa.

A informação foi dada pelo Fantástico no último domingo, em vídeo que você pode ver aqui.
Postar um comentário