quarta-feira, 16 de março de 2016

Ao abater ovelha, Hilbert prestou um serviço aos vegetarianos



Hilbert e o borrego da discórdia (Reprodução GNT)

Equivocada a forte reação de veganos, vegetarianos e defensores dos animais à exibição parcial do abate de um filhote de ovelha no programa Tempero de Família, na GNT. Alvo da ira dos ativistas, que levou a emissora a retirar as imagens polêmicas do episódio, Rodrigo Hilbert chegou a se desculpar pelo fato e, em vão, tentou explicar que o foco da atual temporada do programa é justamente mostrar a realidade gastronômica dos rincões do país.


"Ao mostrar o abate do animal em uma pequena fazenda, eu acreditava estar chamando a atenção para se conhecer a procedência dos alimentos, para se entender como é a cadeia produtiva do que consumimos. No entanto, qual não foi a minha surpresa ao perceber que, ao invés de passar uma mensagem de conscientização sobre o que comemos, vi surgir o ódio de muitos por mim", escreveu o ator e apresentador.


Se, do ponto de vista estético, podemos considerar as imagens desnecessárias, do ponto de vista adotado por Hilbert, o de revelar a realidade da obtenção de nossos alimentos, não há o que criticar. As pessoas precisam saber que carne não nasce embalada a vácuo nas prateleiras do supermercado como a indústria quer fazer crer. Há, sim, exploração e sofrimento animal para isso.


Justamente nesse sentido, Rodrigo prestou um grande serviço aos defensores da causa vegetariana. É razoável supor que, ao se deparar com a dura e crua realidade da morte animal para satisfação alimentar humana, muitos, ou ao menos alguns, acabem por tornar-se adeptos da prática.


Criticam sem razão.
Postar um comentário