quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Pôquer pode ser definitivamente regularizado no Brasil


Para os amantes do pôquer - só em Curitiba existem ao menos cinco grandes clubes realizando torneios diários - uma boa notícia. Segundo a revista Exame, o Ministério do Esporte está criando um grupo de trabalho para estudar a regularização definitiva da modalidade em todo o país.

Hoje, o pôquer vive numa espécie de limbo. Torneios com apostas limitadas e premiações fixas, como ocorrem em outras modalidades esportivas, são vistos como atividade dentro da lei. O que ainda causa, digamos, confusão, são os torneios em que não é imposto nenhum limite ao apostador.

Desde 2012, por exemplo, o jogo faz parte do calendário esportivo nacional. Um ano antes, o deputado federal paranaense Rubens Bueno (PPS) apresentou uma emenda ao projeto do colega Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR) que proíbe "a realização de apostas em evento de natureza esportiva pela rede mundial de computadores" no país, inclusive no mar territorial, excluindo "Os jogos de habilidade, tais como xadrez, gamão e pôquer na modalidade torneio".

O projeto ainda aguarda análise das comissões temáticas da Câmara Federal. Os defensores da legalização definitiva - entre eles a Confederação Brasileira de Texas Hold’em, a principal entidade do país - alegam justamente isso: ao invés de "jogo de azar", o pôquer é um jogo de habilidade.  

Ainda não há prazo para a conclusão do estudo, mas os adeptos do jogo acreditam não haver mais volta.
Postar um comentário