quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Campanha “Gente boa também mata” vira alvo do Conar

Os memes não perdoaram o deslize da campanha

Veiculada desde o final do ano passado pelo governo federal, a campanha de trânsito “Gente boa também mata” desagradou desde o início. Criada pela agência Nova/sb, a ideia era mostrar que pessoas “boas”, e não apenas as inconsequentes, podem provocar acidentes de trânsito, dependendo de sua conduta. Mas as peças não pegaram bem entre as pessoas de bem.

Protetores de animais ficaram irados
Especialmente uma delas, em que um cartaz ressalta que “Quem resgata animais na rua pode matar”. Assim, em letras garrafais, para só depois, sem destaque, aparecer a explicação: “Não use o celular ao volante”. Há outras. Mas, nesse caso, mexeram com o público errado. Os protetores de animais beiram ao xiitismo. Não deixaram barato. Tanto fizeram que o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) abriu processo, nesta terça-feira, 10, para investigar a campanha.

Isso, mesmo após o governo ter decidido retirar os cartazes das ruas. “Numa campanha de publicidade, tudo o que é preciso explicar já não é bom”, admitiu o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, ao Blog do Camarotti, no G1. Os vídeos, no entanto, permanecem no ar, até onde se sabe. Sem, contudo, a assinatura do próprio ministério.

Governo admitiu equívoco

Em seu perfil no Facebook, onde as peças foram bombardeadas, a Pasta atribui o material à Secretaria de Comunicação Social do governo e, “por isso, a assinatura do ministério será retirada da campanha”. Foram e estão sendo muitas as explicações aos internautas. Que, por sua vez, claro, não perdoaram com seus memes e críticas bem-humorados.

Tempos modernos, em que os gestores públicos – e nós, comunicadores – ainda estão aprendendo a lidar com essa linha direta com o cidadão. Vale para o bem, vale para o mal.

E, cuidado: pessoas boas podem ser maus jornalistas!
Postar um comentário