terça-feira, 5 de março de 2013

Ministro Joaquim Barbosa manda repórter "chafurdar no lixo"

Na verdade, as desculpas, nesse caso, são devidas ao profissional em questão, não à imprensa como um todo. Ainda quero ver Joaquim Barbosa confirmar o grande homem que é.

Do G1


'Vá chafurdar no lixo', diz presidente do STF a repórter

Em nota, Barbosa pediu desculpas à imprensa e disse estar com dores. Ministro também chamou repórter de jornal de 'palhaço'.


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, mandou um repórter "chafurdar no lixo" nesta terça-feira (5). Depois divulgou nota em que pediu desculpas aos profissionais da imprensa e afirmou que respondeu de forma "ríspida" por estar tomado por "cansaço e fortes dores" - veja no vídeo ao lado reportagem do Jornal Nacional.

Barbosa saía de reunião do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do qual também é presidente, quando foi abordado pelo repórter Felipe Recondo, do jornal "O Estado de São Paulo".

Recondo iniciou uma pergunta: "Presidente, como o senhor está vendo...". Barbosa interrompeu e, em tom alto, disse: "Não estou vendo nada".

Depois, na presença de jornalistas de vários veículos, o presidente se voltou para o jornalista, aos gritos: "Me deixa em paz, rapaz. Me deixa em paz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre" (ouça ao lado).

O repórter, então, diz: "O que é isso, ministro? O que houve?".
Barbosa responde: "Estou pedindo, me deixe em paz. Já disse várias vezes ao senhor".

O jornalista tentou mais uma vez conversar com o presidente do tribunal. "Eu tenho que fazer pergunta, é meu trabalho." E Barbosa, gritando, novamente disse: "Eu não tenho nada a lhe dizer. Não quero nem saber do que o senhor está tratando."

Depois, do elevador do prédio, Barbosa disse em tom alto: "Palhaço".

O presidente do Conselho Nacional de Justiça,
ministro Joaquim Barbosa, durante sessão
realizada nesta terça (05) na sede da CNJ, em
Brasília. (Foto: Beto Barata/Estadão Conteúdo)
Os repórteres aguardavam Barbosa na saída do CNJ para perguntar sobre criticas feitas a ele por entidades que reúnem magistrados. As críticas se referiam a uma entrevista dada por Barbosa a correspondentes internacionais, quando o presidente do STF disse que os juízes têm cultura pró-impunidade. Barbosa não é magistrado de carreira, mas sim procurador da República.

Jornal não comenta
O diretor de redação do "Estado de S.Paulo" em São Paulo, Ricardo Gandour, disse que é um fato público e não vai comentar o episódio.

Leia a reportagem completa no G1.
Postar um comentário