sexta-feira, 30 de outubro de 2015

UEL recebe 7,5 mil documentos da ditadura sobre personalidades paranaenses


Márcio Santana (F: Agência UEL)
O Centro de Documentação e Pesquisa Histórica (CDPH), do Centro de Ciências Humanas (CCH) da Universidade Estadual de Londrina (UEL) - onde este jornalista se formou -, recebeu 7.556 páginas digitalizadas de documentos produzidos pela ditadura militar sobre atividades de estudantes, professores, jornalistas e outras pessoas entre os anos de 1970 e 1985. A informação está na edição 1.335 do Jornal Notícia, produzido pelo departamento de Comunicação da universidade.

Repassado pelo Arquivo Nacional, "o acervo contém registros de caráter oficial produzido por agentes do Serviço Nacional de Inteligência (SNI), órgão de vigilância do regime militar. Os documentos, que já estão disponíveis para consulta pública gratuita, são da década de 70 até 1985, dos estados do Paraná e Santa Catarina".


Alguns investigados pela ditadura se tornaram figuras conhecidas na política, jornalismo e literatura paranaenses, como o ex-deputado e ex-prefeito de Londrina Luiz Eduardo Cheida, o senador e ex-governador Alvaro Dias e o jornalista e escritor Nilson Monteiro. 

"A documentação diz respeito a todo o estado do Paraná e de Santa Catarina. Felizmente, Londrina recebeu os arquivos até mesmo antes de Curitiba", afirma o diretor do CDPH, Márcio Santana. "Toda aglomeração de pessoas que possibilitasse qualquer tipo de agitação política despertava a atenção dos agentes do SNI", lembra o professor.

Os documentos já estão disponíveis para consulta pública gratuita.

A reportagem completa você pode ler no Notícia
Postar um comentário