quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Suspeita de associação entre microcefalia e pyriproxyfen é "ideológica"

Em comunicado à imprensa, a Dexter Latina, fabricante do produto Straik Mata-Larvas, que leva o princípio ativo pyriproxyfen em sua fórmula, alega que a associação do uso do produto com casos de microcefalia é ideológica e não científica.

Segundo o laboratório, a suspeita da relação do pyriproxyfen, usado no combate ao mosquito Aedes aegypti, com a microcefalia surgiu entre pesquisadores argentinos, "porém sem base em pesquisas científicas". No Brasil, o assunto ganhou eco na Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que, segundo a Dexter Latina, "se posiciona contra o uso de qualquer tipo de substância química para controle do vetor". 

“Trata-se de uma crítica mais ideológica que científica. Não foi feito nenhum estudo, é uma hipótese sem fundamento. Na ânsia de achar culpados, cai-se em uma teoria da conspiração”, afirma Milton Braida, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Dexter Latina. Segundo a empresa, o pyriproxyfen é "estudado desde 1999 e liberado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para consumo em água há mais de uma década", sendo "um hormônio juvenil sem análogo no corpo humano, que atua apenas no mecanismo de crescimento de artrópodes (insetos)".
Postar um comentário