sábado, 23 de abril de 2016

Câmara Federal altera reportagem de 2014 para "esconder" os únicos 36 deputados eleitos com o próprio voto

A reportagem é do Comunique-se: 


Novo título esconde puxadores de votos (Img: Agência Câmara)
"Apenas 36 dos deputados se elegeram com seus próprios votos”. Esse foi título escolhido pela equipe da Agência Câmara para repercutir a composição dos parlamentares eleitos no pleito de dois anos atrás. Publicada em outubro de 2014, porém, a reportagem foi adulterada na terça-feira, 19, depois de viralizar nas redes sociais, meio em que internautas criticaram o modelo adotado para o Legislativo federal. Com a repercussão negativa, o teor da matéria foi modificado, com exclusão de informações e até novo título, que em vez de informar serve para explicar o sistema: “Eleição para a Câmara dos Deputados segue o modelo proporcional previsto na Constituição”.

A reportagem também detectou que a tabela com os nomes dos 36 parlamentares foi retirada da matéria original, além de outras alterações, 17 meses depois da publicação:

Na nova versão, que segue com a URL http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/POLITICA/475535-APENAS-36-DEPUTADOS-SE-ELEGERAM-COM-SEUS-PROPRIOS-VOTOS.html, há outros trechos extirpados. Originalmente, a reportagem explicava o sistema eleitoral para cargos do poder Legislativo, detalhando, entre outros exemplos, como funcionava a questão do quociente eleitoral no Distrito Federal e que o apresentador da TV Record, Celso Russomanno (PRB-SP), serviu como “puxador” de quatro políticos, incluindo o cantor sertanejo Sérgio Reis. O conteúdo presente até terça no intertítulo “Distorções”, que mostrava que político bem votados não foram eleitos, também desapareceu da matéria da Agência Câmara.


Depois da adulteração da reportagem, a equipe responsável pela agência de notícias da Casa preferiu argumentar que “todos os 513 deputados eleitos têm a mesma legitimidade em seus mandatos”, além de colocar no ar a afirmação de que “esse sistema costuma receber críticas, apesar de ser perfeitamente legal e previsto na Constituição”. A edição, porém, não repercutiu bem, sendo alvo de críticas do jornalista Leandro Fortes, que usou a página que mantém no Facebook para divulgar o caso, e de internautas. Ao longo da semana, o campo de comentários da matéria foi usado para o público pedir alterações no modelo de eleição de deputados federais. “Basta desse sistema oligárquico... candidato avulso sem necessidade de filiação politica”, publicou Clodoaldo dos Santos."
Confira a lista dos 36 puxadores de votos, eliminada da reportagem da Agência Câmara:
Planilha despareceu do site da Agência Câmara (Imagem: Agência Câmara)
Leia a reportagem completa no Comunique-se.
Postar um comentário