terça-feira, 17 de outubro de 2017

A prática comunista de João Doria

O ditador soviético Josef Stalin ficou conhecido, além da matança desenfreada de adversários, por apagar de fotografias personagens que ele considerava inimigos. Evidentemente que a História, que sempre, a seu tempo, retrata a verdade, corrigiu essa prática.

No livro 1984, de Gerorge Orwell - que criou o termo Big Brother em 1948 (não, não foi a Globo) -, o  ditador do momento também escrevia a história da maneira que bem entendia.

Prefeito anuncia distribuição de alimento (Reprodução Facebook)
A prática do governo João Doria, de apagar e alterar trechos de matéria publicada em site oficiaial da prefeitura de São Paulo para tentar desacreditar a imprensa, remete a esses dois momentos desprezíveis - um real e outro ficcional - do imaginário político mundial. Inacreditável imaginar que um veículo sério como o UOL não teria o cuidado de "printar" as páginas da Prefeitura para fazer o questionamento. A Secretaria de Comunicação presta um desserviço e coloca em risco sua credibilidade ao alterar notícia para fazer parecer que o jornalista estava falando de algo que não existia. Beira ao amadorismo.

Todos sabemos o lugar que a História reservou a Stalin. Doria deveria saber que um "ctrl X" não seria suficiente para desdizer o que foi dito.

Para entender o assunto, leia a matéria do UOL "Após repercussão, Prefeitura volta atrás e nega distribuição de reprocessado para pobres". Nela, o jornalista Fernando Cymbaluk revela a dificuldade em esclarecer as idas e vindas da Prefeitura paulistana em relação à "ração para pobre", termo pelo qual ficou conhecido o programa de distribuição de alimentos processados anunciado em vídeo pelo próprio prefeito João Doria.

PS: Doria disse, ainda, que, além de São Paulo, o produto seria distribuído também em todo o Brasil. Alguém pode explicar a declaração de um prefeito sobre questões nacionais?
Postar um comentário