sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Realmente, imbecilidade é o que há

O pastor Fábio Guimarães da Silva Pereira, da Igreja Universal do Reino de Deus de São Borja (RS), queimou, durante um culto, duas imagens religiosas registradas no Iphan. As imagens haviam sido retiradas da casa de uma família que detinha sua guarda em troca de orações que o pastor faria para a cura de um câncer na família. O doente morreu e o Brasil perdeu duas das últimas 84 peças no estilo barroco jesuítico do século XVII existentes no país. E ainda dizem que a Idade Média é que foi o período das trevas.
Postar um comentário