sábado, 16 de fevereiro de 2013

Curitiba cria Guarda Municipal de Proteção Animal

Um mês e meio de trabalho e o prefeito Gustavo Fruet (PDT) tira do papel uma antiga reivindicação dos protetores de animais. A questão, realmente, exige ações rápidas. Aguarda-se agora o hospital veterinário público.

Da Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba

Fruet (dir.) no lançamento. (Foto: Divulgação)

O prefeito Gustavo Fruet lançou neste sábado (16), no Passeio Público de Curitiba, a Guarda Municipal de Proteção Animal, estrutura que vai atuar na proteção de animais e no combate aos maus tratos. São agentes da Guarda Municipal treinados e que irão trabalhar em conjunto com fiscais da Secretaria Municipal do Meio Ambiente sempre que houver denúncias de agressão ou descaso com animais domésticos, criadouros clandestinos e ainda em ações de educação e conscientização da população sobre posse responsável.

Maltratar animais é crime e tem que ser denunciado. É necessário estimular a adoção de animais abandonados e a posse responsável aqui em Curitiba” destacou Fruet. Ele lembrou que é responsabilidade do proprietário de cães, gatos ou qualquer outro bicho doméstico assegurar os cuidados necessários com a saúde, alimentação e higiene durante todo o período da vida do animal.

O médico veterinário Alexander Welker Biondo, diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria do Meio Ambiente, explicou que as verificações de maus tratos já aconteciam, mas o reforço da Guarda Municipal mostra que isso será fortalecido a partir de agora. 

O diretor da Guarda Municipal, Claudio Frederico Carvalho, disse que nos casos de denúncia em que a pessoa se mostrar resistente, a Guarda buscará o amparo da Delegacia de Meio Ambiente, da Polícia Civil. “São casos que precisam de uma ação rápida”, afirmou.

Metas

Segundo Biondo, a Secretaria de Meio Ambiente tem três metas para este ano na área de proteção animal: o combate aos maus tratos, o incentivo às castrações de animais de rua e pertencentes a famílias carentes e o investimento em projetos educacionais, por meio de parcerias com escolas. “Vamos intensificar as fiscalizações para combater o comércio irregular de animais e fazer uma força-tarefa para colocar em dia a verificação das denúncias que recebemos e que hoje chegam perto de 200 casos”, comentou.

Outro projeto que deve sair do papel em breve, afirmou Biondo, é o Hospital Veterinário Público, para facilitar o acesso à assistência veterinária, tanto de pessoas que não podem pagar por serviços particulares quanto para protetores que realizam trabalhos voluntários com animais de rua. “Não é necessário construir um hospital novo e contratar pessoal. Podemos fazer contratos com hospitais veterinários e clínicas, como já ocorre hoje no sistema de saúde. O animal que estiver precisando de atendimento será encaminhado para um destes serviços credenciados”, esclareceu Biondo.

Denúncias de maus tratos a animais podem ser feitas pelo telefone 156, da Prefeitura, e 153, da Guarda Municipal. Pessoas interessadas em adotar um animal podem entrar em contato com a Rede de Proteção pelo telefone (41) 3350-8933.
Postar um comentário