quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Petrobras afasta diretor que contratou, sem licitação, empresa em que a filha trabalha

João Elek: suspeito de favorecer a filha (F: Divulgação)
A Petrobras informou no início da noite que decidiu afastar temporariamente o diretor de Governança e Conformidade, João Adalberto Elek Júnior. A decisão do Conselho de Administração (CA) da empresa foi tomada após a Comissão de Ética da Presidência da República (CEP) aplicar uma advertência ao diretor.

João Elek foi acusado, em denúncia anônima, de ter atuado na contratação de uma empresa de auditoria, a Deloitte, no momento em que sua própria filha participava de um processo seletivo para trabalhar na consultoria. A contratação foi feita sem licitação. A Petrobras alega que a dispensa de licitação ocorreu devido à necessidade urgente de investigar denúncias recebidas pela empresa. "A dispensa da licitação foi justificada tendo em vista os riscos que poderiam ser gerados para a companhia", diz a empresa.

Já a CEP considerou haver conflito de interesse na contratação, já que a auditoria em que a filha de Elek trabalha foi contratada justamente pela Diretoria de Governança e Conformidade (DGC), comandada pelo pai. O diretor ficará afastado até o julgamento do recurso que apresentará à Comissão de Ética da Presidência.

Vale lembrar que a Petrobras é o centro das investigações da operação Lava Jato e, mesmo após dois anos de operação, aparentemente, práticas reprováveis de sua diretoria, nomeada pelo governo Temer, continuam manchando o nome da maior empresa brasileira.
Postar um comentário