quinta-feira, 2 de agosto de 2018

E se os candidatos à Presidência fossem bandas de rock?


Lula - IRON MAIDEN. Trouxe o metal para as massas, não importa o que façam vai continuar sendo o mais popular e por mais que tenha lançado uns discos meio estranhos, vai continuar sendo respeitado.

Bolsonaro - OASIS. Boçal pra caralho, vive de requentar ideias dos anos 60, sem trazer nada de bom e mesmo assim tem um monte de fã. Se aproveita da cegueira (ou surdez) dos fãs pra empregar a família toda. 

Ciro Gomes - METALLICA. Tem mais fases ruins que boas durante a carreira, mas quando foca nos pontos altos, ainda pode ser uma boa opção. 

Boulos - NAPALM DEATH. Curto e grosso. Diz as coisas certas que precisam ser ditas, mas é extremo demais pra ser o favorito da maioria.



Amoedo (NOVO) - FOO FIGHTERS. Não traz nada de verdadeiramente novo, mas tem uns fãs chatos que acham que o que eles fazem é revolucionário. Rock inofensivo feito especialmente pra guri de condomínio classe média. 

Manuela D'Ávila - LIZZIES. Jovem, promissora e que já mostra talento desde cedo. Mais alguns anos de rodagem (pra pegar a experiência dos bastidores) e tem tudo pra estar entre as melhores.

Pastor Everaldo - OFICINA G3. Só crente ouve.

Henrique Meireles - NICKELBACK. Típica porcaria feita na medida pra agradar o mercado americano.

Álvaro Dias - MOTOROCKER. Só faz sucesso no Paraná. 

Levy Fidelix - MASSACRATION. Serve no máximo pra dar umas risadas e olhe lá. 

Marina Silva - GUNS N' ROSES. Lançou um disco bom uns 30 anos atrás e vive disso, enquanto a carreira recente é constrangedora demais pra ser lembrada.

Geraldo Alckmin - LOS HERMANOS. Aquela coisa ruim que deveria ter ficado nos anos 90 mas que vive ensaiando um retorno, mesmo que a maioria saiba que é um engodo.

DEMAIS CANDIDATOS: Aqueles bandas de grind underground que ninguém nunca ouviu falar.

OBS: Circula pelo Whatsapp; não sei o autor
Postar um comentário