sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Um doutor, uma mestranda, uma pós-graduanda disputam a prefeitura de Curitiba



Se formação acadêmica for um critério para se escolher o candidato a prefeito de Curitiba, o atual mandatário e candidato à reeleição Gustavo Fruet (PDT) sai na frente. Fruet é o único entre os nove candidatos a possuir doutorado. Formado em direito pela UFPR, Fruet tem ainda mestrado em direito público e doutorado em direito das relações sociais, todos pela mesma universidade.




Especialista em literatura brasileira e história nacional pela UTFPR, Xênia Mello (PSol) é mestranda em sociologia na UFPR, onde também se formou em direito.








A deputada estadual Maria Victória (PP), filha do ministro da Saúde, Ricardo Barros, e da vice-governadora, Cida Borghetti, é pós-graduanda em administração. Formada em hotelaria e gestão de eventos, estudou cinco anos da Suíça. Não há informação sobre as instituições frequentadas. (O levantamento foi feito a partir de informações disponibilizadas pelos candidatos em sites e redes sociais).



Rafael Greca (PMN), que já foi prefeito da Capital, é formado em economia pela Fundação de Estudos Sociais do Paraná e engenharia civil com especialização em urbanismo pela UFPR. É escritor, poeta, editor e pesquisador de história. É membro da Academia Paranaense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná.




Os demais candidatos não informam pós-graduação. Deputado estadual, Requião Filho (PMDB), filho do senador e ex-governador Roberto Requião, é advogado.









Afonso Rangel (PRP), atual pró-reitor de Planejamento e Avaliação da Universidade Tuiuti - instituição pertencente a sua família -, é formado em ciências aeronáuticas.









O deputado estadual Ney Leprevost (PSD) informa apenas que tem curso superior completo, sem indicar a área e a instituição.









O também deputado Tadeu Veneri (PT), ex-bancário, afirma que começou a estudar psicologia em 1974, mas não há informação sobre a conclusão do curso.










Já o empresário Ademar Pereira (PROS), vice-presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares, autointitula-se educador, mas também não informa qual sua formação.
Postar um comentário