quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Assassinato do jogador Daniel teve a participação de filho de políticos influentes

Cristiana e Juninho: estupro descartado (Reprodução Facebook)
A polícia do Paraná começa a desvendar a motivação e a forma do assassinato do jogador Daniel. Ao contrário da versão sustentada pelo (agora suposto) assassino confesso Edison Brittes, o Juninho, de que teria cometido o crime sozinho, os indícios apontam para a participação de um dos filhos de um casal de políticos de São José dos Pinhais, cidade na região metropolitana de Curitiba onde o jogador foi agredido e morto.

Segundo depoimento de Juninho, revelado pelo UOL Esportes, outras pessoas participaram das agressões, todas já identificadas pela polícia. O empresário deu detalhes das agressões, mas se recusou a falar como o jogador foi morto. Ele disse ter assumido o crime sozinho para proteger o filho dos políticos, que tem um irmão gêmeo que também estava na festa, mas não teria participado das agressões.

A polícia também descartou a possibilidade de tentativa de estupro da mulher de Juninho por parte de Daniel. Juninho, a mulher Cristiana Brittes e a filha do casal, Allana, amiga de Daniel, continuam presos.
Postar um comentário