Mostrando postagens com marcador educação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador educação. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Entidades estudantis criam plataforma para pressionar pela aprovação do Fundeb no Senado

Se aprovado pelos Senadores nesta semana, o PL 15/2015, o Fundeb Permanente, será uma grande conquista para toda a educação brasileira e seguirá o objetivo com o qual foi criado:, reduzir desigualdades, distribuindo recursos para estados e municípios para o funcionamento das escolas e garantindo salário de professores.Serão cerca de R$ 3 bilhões destinados para a educação.

De acordo com Rozana Barrozo, presidente da UBES, a construção do movimento pela aprovação é feita com muita pressão nos parlamentares. “Esperamos que os senadores escutem a voz dos estudantes e professores que lutam em defesa da educação. Com muito diálogo estamos nos posicionando e os contatando para reivindicar o voto favorável em defesa das nossas escolas. E claro, esperamos a aprovação do FUNDEB com CAQ ( Custo Aluno- Qualidade), como foi o texto aprovado na Câmara dos Deputados”,  conta Rozana.

Pressão pela aprovação

A UBES, UNE e ANPG criaram no começo do mês de julho o site https://defendaofundeb.com.br/, no qual, o estudante se inscrevia e  um e-mail era disparado a todos os deputados reivindicando a aprovação do FUNDEB . Foram mais de 30.000 inscritos e a pressão surtiu efeito nos parlamentares.

Agora, para votação no senado, as entidades lançaram novamente o site para o disparo direcionado e-mails dos senadores.E em menos de 24 horas foram 32.000 assinaturas. “É importante a participação de todos para conquistarmos a vitória e é essencial que os senadores escutem os estudantes”, comenta Rozana Barroso.

Preocupação com a proposta do orçamento de 2021 que pode impactar no FUNDEB

Prestes à aprovação do Fundeb, as entidades voltam a se posicionar contra o orçamento proposto em 2021 para e Educação. O Ministério da Economia propõe para o Orçamento de 2021 um corte de R$ 4,2 bilhões no Ministério da Educação, e que será repassado para todas as áreas da pasta.

O corte arquitetado pelo governo não prevê impacto nos salários, mas impacta os recursos da educação básica de forma que as escolas serão sucateadas, sem aprimoramento tecnológico, investimentos em inclusão digital, estruturas e também a adaptação aos protocolos sanitários para volta às aulas. Sendo assim, caso essa proposta seja aprovada, o investimento adquirido pelo Fundeb é anulado, com a perda de mais de R$ 3 bilhões para o ensino básico.

“Não há como pensar em superar a pandemia e os seus impactos negativos, sem falar na educação. O governo Bolsonaro, em vez de priorizar, opta pela precarização, e os ganhos com o Fundeb serão praticamente anulados. É um absurdo  diminuir o orçamento anual diante de uma crise sanitária, social e econômica como a atual.”, alerta a presidente da UBES.

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Ministro da Educação paga mico dançando Singing in The Rain

Em mais uma prova de que o atual governo governa para mídias sociais, o ministro da Educação de Jair Bolsonaro, Abraham Weintraub, protagonizou um episódio, no mínimo, grotesco, considerando-se o cargo que ocupa, nesta quinta-feira. Em seu perfil no Twitter, Weintraub publicou um vídeo segurando um guarda-chuva, sob o som de Singing In The Rain, clássico dos anos 1950.

A justificativa para a cena bizarra foi a "chuva de fake news" sobre o MEC. Na avalização do ministro, as notícias relativas aos cortes na Educação são falsas. Weintraub ainda comprou mais uma briga na já conturbada relação do governo com o Congresso, atribuindo à bancada federal do Rio de Janeiro os cortes nos repasses para a recuperação do Museu Nacional. Não há informações se o vídeo, que também está sendo distribuído pelo Whats App, foi produzido com recursos públicos. Assista e divirta-se:


quinta-feira, 16 de maio de 2019

Câmara aprova moção de apoio às instituições de ensino superior em Goiás

Andrey: sociedade não tolera retrocessos na educação (F: CMG)
As manifestações ocorridas ontem (15) em todo o país contra retrocessos na pauta da educação motivaram o vereador Andrey Azeredo, MDB, a apresentar na sessão de hoje (16) da Câmara uma moção de apoio às instituições de ensino superior em Goiás, bem como na defesa da pesquisa e desenvolvimento científicio/tecnológico.

A moção de apoio é destinada à Universidade Federal de Goiás (UFG), na pessoa do reitor Edward Madureira, Instituto Federal Goiano (IF), reitor Jerônimo Rodrigues da Silva e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás IFG, reitor Vicente Pereira de Almeida.

Andrey,, ao justificar sua propositura, disse que a sociedade brasileira "não aceita nem tolera retrocessos na pauta da educação, que deve ser prioridade não só do cidadão como também do governo. Essa moção, portanto, é uma atitude deste Poder na defesa da valorização do princípio constitucional de acesso à educação em todos os níveis".

Diversos vereadores aproveitaram a discussão da moção para fazer pesadas críticas ao governo federal, especialmente ao presidente Jair Bolsonaro, PSL. "Cortar verba da educação é que um ato imbecil e não os estudantes que vão para as ruas protestar.Investir em educação é avanço", afirmou o vereador Álvaro da Universo (PV). Anselmo Pereira, PSDB, foi contundente: "Como levar a sério um presidente que chama de idiotas nossos estudantes? Aliás, é aquele que votou nele. O sr. Bolsonaro desrespeitou nossas instituições de ensino. Foi infeliz".



Tatiana Lemos (PC do B) também foi contundente nas críticas ao governo federal, especialmente ao ministro da Educação Abraham Weintraub. ""Esse ministro é um idiota perfeito. Um inútil colocado no cargo, que não sabe de nada e só diz besteiras. Já o presidente Bolsonaro é outra nulidade:ninguém quer ficar perto dele. Aliás, ele só viaja para os Estados Unidos e jamais ao Nordeste, por exemplo. Felizmente parece que o povo acordou com as manifestações de ontem".
Clécio Alves, MDB, por sua vez, lembrou que enorme desgaste do atual governo. "Parece que o vice-presidente, Mourão, já está se preparando para ocupar o cargo de presidente. Tudo encaminha para isso".

terça-feira, 14 de maio de 2019

Revista diz que Bolsonaro recuou no corte de verbas de universidades

Weintraub: reprovado pelo chefe (F: Antônio Cruz/Ag Brasil)
De acordo com a Revista Forum, Jair Bolsonaro recuou - mais uma vez - de uma medida anunciada por seu governo. A publicação cita parlamentares que presenciaram o telefonema de Bolsonaro ao ministro da Educação,  Abraham Weintraub. Pressionado especialmente pela convocação de Weintraub pela Câmara para esclarecer os cortes de verbas das universidades federais, com o apoio de 307 deputados, e pela paralisação geral marcada para esta quarta-feira (15), Bolsonaro não quis conversa. Weintraub até tentou argumentar, mas o chefe mandou "rever isso aí". O governo estuda agora uma maneira de anunciar mais um recuo em seu trágico e catastrófico início.

Leia a reportagem completa aqui.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Escola francesa pretende ampliar as discussões sobre gênero no Brasil

Há décadas os debates sobre gênero vêm levantando pautas sociais importantes. Para manter as discussões que visam combater a opressão, a escola francesa de consultoria de imagem Ecole Superieure de Relooking irá realizar o curso online “Desmistificando Gênero”, ministrado pela professora e pesquisadora Joanna Burigo.

“O papel social de homens e mulheres foi construído, portanto não é algo intrínseco. É importante desconstruir padrões de subjugação de mulheres vistos como naturais na sociedade” é com esse objetivo que Joanna, mestre em Gênero, Mídia e Cultura pela London School of Economics, pretende realizar o curso.

Com o intuito de esclarecer as linguagens de gênero, assim como as estruturas sociais e suas hierarquias, na grade de ensino, além das questões do tema, o curso pretende dialogar sobre feminismo e a teoria queer. Para realizar essa tarefa, as aulas irão promover debates acerca de como o dia-a-dia é influenciado pelas novas discussões de gênero, definições de feminismo e estratégias de como se comunicar sem oprimir.

Segundo a professora Joanna um dos desafios do curso é combater a opressão por meio do conhecimento. “A proposta é que elas compreendam a historicidade da linguagem do feminino e entendam como isso é fundamental para a liberdade das mulheres”, explica a pesquisadora que já ministrou vários cursos e debates sobre o tema.

Justificando a realização da atividade pela Ecole, Joanna concorda que o padrão hegemônico da sociedade exclui e oprime. A especialista explica ainda que há um processo de naturalização de tais opressões. “É importante consolidar que esses padrões da sociedade são construídos e não naturais. Compreendendo isso é possível entender os mecanismos de manutenção desses modelos,” desenvolve Burigo.

Estudos feministas e de gênero datam de 400 anos atrás, mas se consolidaram no século XX. Desde que foram concebidos os debates questionam os padrões sociais que impõem papeis para homens e mulheres. “A maneira como gênero se organiza na sociedade acontece para manter papeis de poder. O discurso de gênero vem crescendo nos últimos cinco anos e está influenciando a sociedade de maneira intensa, no sentido de que é preciso pensar a respeito das estruturas sociais para desfazer algumas opressões” esclarece Joanna Burigo.

O curso organizado pela escola francesa terá carga horária de 21 horas, que serão dispostas em seis módulos. Para se inscrever é preciso solicitar a ficha de inscrição pelo e-mail contato@ecolebrasil.com.

A primeira vídeoaula estará disponível na terça-feira, dia 26 de setembro. Já a primeira videoconferência acontece na quarta-feira, dia 27 de setembro.

Serviço – Desmistificando Gêneros
Carga Horária: 21 horas
Professora: Joanna Burigo
Módulos: 6
Inscrições: contato@ecolebrasil.com

(*) Da Assessoria

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Colégio Estadual do Paraná tem 440 vagas abertas para cursos técnicos

CEP: 440 cursos técnicos em nível médio (F: Hedeson Alves)
O Colégio Estadual do Paraná (CEP) está com inscrições abertas para os cursos técnicos em nível médio de Administração, Teatro, Edificações, Informática, Produção de Áudio e vídeo, Saúde Bucal e secretariado. São 440 vagas para alunos que já concluíram o ensino médio e desejam obter a formação profissional. Os cursos são gratuitos.

A inscrição para o processo classificatório deve ser feita na própria escola, localizada na Avenida João Gualberto, nº 250, no bairro Alto da Glória, em Curitiba, entre os dias 12 e 14 deste mês, das 18h às 21h.

A classificação final será divulgada em 30 de junho. As matrículas da primeira chamada devem ser feitas entre 10 e 13 de julho, das 17h às 20h. Os cursos na modalidade subsequente, para quem já concluiu o ensino médio, tem duração de um a dois anos, com disciplinas específicas da área técnica.

ESTADO – As inscrições para o ensino técnico nas demais escolas e centros estaduais de formação profissional começaram em 1° de junho e seguem até o dia 16. O período de pré-classificação nessas instituições acontece entre 19 e 22 deste mês e as aulas iniciam em 26 de julho.

A Secretaria de Estado da Educação oferta gratuitamente cerca de 50 cursos técnicos profissionalizantes em 351 estabelecimentos de ensino, em 184 cidades do Paraná.

Nesta etapa, as matrículas são para as modalidades subsequente (para quem já concluiu o ensino médio) e para a Educação de Jovens e Adultos (Proeja), destinada aos alunos com idade igual ou superior a 18 anos, que estudam as disciplinas técnicas aliadas às disciplinas da base nacional comum, concluindo assim o ensino técnico e médio ao mesmo tempo.

Da AEN

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Escola de Michelzinho privilegia esportes e artes

Como convém a toda mulher bela, recatada e do lar, Marcela acompanha à distância os homens da casa
Na contramão do que o governo Temer impôs aos demais jovens estudantes brasileiros – o fim das artes e educação física no ensino regular -, a escola em que seu filho caçula, Michelzinho (7), estuda não abre mão de educação física e atividades artísticas. Com mensalidade em tornode R$ 4 mil, a escola, “sem fins lucrativos”, afirma, em seu site, que o rigoroso currículo “é complementado por princípios morais, serviço, esportes e artes“.

A Escola das Nações, localizada em área nobre de Brasília, oferece ainda ensino bilíngue a todos os seus estudantes. No currículo do ensino médio, destacam-se disciplinas como História da Arte e Artes Visuais. Atividades esportivas aparecem em todas as etapas do ensino, tanto como atividades curriculares quanto opcionais – ou “after school”, como prefere a escola.

Ao contrário do que exige a intervenção da Reforma Alexandre Frota, que quer proibir o ensino de grandes pensadores aos estudantes, na escola de Michelzinho “os alunos são desafiados e apoiados no desenvolvimento de níveis profundos de pensamento e no uso produtivo de conhecimentos e capacidades”.

Na escola de Michelzinho, não vale a reforma Alexandre Frota




quinta-feira, 3 de março de 2016

Para praticar língua estrangeira de graça

Pra quem quer praticar, de graça, conversação em diversas línguas, uma oportunidade bacana: a Livrarias Curitiba criou o Clube de Conversação de Idiomas. Os encontros acontecem sempre às sextas-feiras, de março a novembro. A entrada é gratuita e nem precisa se inscrever, basta chegar, se acomodar e conversar. Ou apenas ouvir, para os mais tímidos. 

O Clube é resultado de uma parceria com o Centro Europeu e o Inter Americano, que irão enviar os professores às lojas para o bate-papo. “Nossa intenção com esse projeto é estimular o conhecimento de forma gratuita. Essa parceria é muito bem-vinda e qualquer pessoa pode praticar os idiomas de um jeito leve, descontraído e sem avaliações. O que vale aqui é soltar a língua e ampliar o networking”, brinca Marcos Pedri, diretor comercial do Grupo Livrarias Curitiba.

A programação para 2016 ficou assim definida. O inglês será praticado às 12h na loja do Shopping Jardim das Américas; às 18h no ParkShopping Barigui e às 20h no Shopping Estação. O francês será às 18h no Shopping Curitiba. No mesmo local, às 19h, tem a conversação de alemão e às 20h, de italiano. No dia 18 de março haverá um encontro sobre inglês, às 19h, na loja do Shopping Palladium.

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Richa suspende estudo sobre fechamento de escolas

O governador Beto Richa acaba de anunciar em seu perfil no Facebook que determinou à Secretaria de Educação a suspensão dos estudos que poderiam levar ao fechamento de escolas. Segundo o governador, a decisão foi tomada em reunião com a secretária Ana Seres.


terça-feira, 27 de outubro de 2015

Por que o governo deve, sim, fechar escolas

Há uma falsa moral perambulando as mentes brasileiras, mesmo as que funcionam. Há assuntos proibidos, vergonhosos, impedidos de ser debatidos. Existem temas que sua mera menção gera uma opinião prévia irredutível que coloca todos os interessados unicamente em debater na vala comum dos inimigos da sociedade - do seu lado da sociedade. É assim com o direito ao aborto, com a redução da maioridade penal, com a liberação das drogas, com as privatizações de paquidérmicos e corruptos órgãos públicos, com a cobrança em universidades públicas e por aí vai. Sou contra alguns e a favor de outros. Mas, sempre, disposto a debater todos.

A histeria em torno do estudo que o governo do Paraná está fazendo para fechar algumas escolas ociosas é um desses exemplos. Antes mesmo de saber detalhes da proposta já há uma decisão da sociedade, especialmente do segmento ideologicamente contrário ao grupo que está no poder: "o governo é contra a educação".

Ontem a superintendente de Desenvolvimento Educacional da Secretaria de Educação, Vanda Dolci Garcia, explicou, em entrevista coletiva, o que está em curso: um estudo das condições estruturais de prédios que abrigam pequenas turmas para, posteriormente, em uma análise pedagógica, definir os casos em que os estudantes serão realocados para outras unidades. Segundo o governo, há casos de escolas com seis estudantes e 15 profissionais da educação.

Um dos princípios que deveriam ser seguidos pelo poder público, em especial nesse período de quase falência do estado em seus níveis federal, estadual e municipal, é a economia dos recursos igualmente públicos. E, convenhamos que, casos como o citado acima, em sendo a realidade, são um flagrante desperdício do dinheiro que é de todos.

Portanto, deixemos de reduzir a discussão a meras questões ideológicas e corporativas e vamos pensar no todo. A pergunta que deve ser feita pela sociedade é: é justo o meu dinheiro ser investido em uma escola com dez alunos enquanto uma outra, com 300 estudantes, precisa de dinheiro para consertar a goteira na sala de aula?

quinta-feira, 6 de junho de 2013

UEL, entre as 200 melhores do mundo

A UEL está entre as 200 melhores universidades do mundo e entre as 19 melhores do país. É o que mostra o ranking mundial QS Top Universities de 2013. Segundo o ranking, a Universidade ocupa a posição de número 64 entre as melhores universidades da América Latina.

Confira a reportagem da TV UEL, com imagens do grande Célio Costa, responsável pelo laboratório de fotografia do curso de Comunicação quando este blogueiro passou por lá, nos já longínquos anos 1990. A atual reitora, Nádina Moreno, era a diretora do Ceca, o Centro de Educação, Comunicação e Artes.

(Foram bons tempos. Os melhores)